Farol do Penedo da Saudade


O capitão de fragata Francisco Maria Pereira da Silva, à data Inspector de Faróis, no seu levantamento de 1866, dos locais escolhidos para edificação de faróis de segunda e terceira ordem, ao longo da costa de Portugal, antevia a necessidade de erigir um farol na posição aproximada onde hoje se localiza o farol do Penedo da Saudade.

A Comissão de Faróis e Balizas viria a propor a criação de um farol em Nossa Senhora da Victória, prevendo para ele a instalação de um aparelho de 2ª ordem, dando um relâmpago branco e outro vermelho.

Em virtude de nada ter sido feito até então, a Comissão nomeada em 1902, veio a decidir em definitivo sobre o local de implantação do farol e, resolveu aceitar o ponto denominado Penedo da Saudade, em vista das condições mais vantajosas em que se encontrava este ponto comparado com o anterior (Nossa Senhora da Victória). Este segundo ponto, dista 25,5 milhas do Cabo Mondego e 30,5 milhas da Berlenga, ficando numa posição intermédia entre os dois, tendo o terreno onde está o edifício do farol mais uma faixa de 10 metros de largura em redor, sido cedido pelas Matas do Reino.

O farol do Penedo da Saudade entrou em funcionamento em 15 de Fevereiro de 1912, com um aparelho óptico de 3ª ordem, grande modelo (500mm de distância focal), de rotação. A fonte luminosa utilizada era a incandescência pelo vapor de petróleo e a rotação da ópti-ca era produzida por uma máquina de relojoaria. Tem uma torre com 32 metros de altura e 55 metros de altitude.

De Março de 1916 a Dezembro de 1919 o farol esteve apagado devido à Primeira Grande Guerra.

A primitiva óptica não se manteria no farol do Penedo da Saudade por muito tempo, visto que foi deslocada para o novo farol do Cabo Mondego em 1921. De 3 de Março de 1921 até 27 de Julho, o farol esteve apagado para substituição da referida óptica. O aparelho lenticular instalado foi, também, de 3ª ordem, grande modelo, de rotação, dando grupos de dois relâmpagos.

A telha marselha que cobria o edifício do farol, foi substituída em 1937 por telha de lusalite.

Em Julho de 1947, foi electrificado com a montagem de dois grupos electrogéneos. O farol começou a funcionar com incandescência eléctrica, sendo instalada uma lâmpada de 6000 watts.

Foram adicionados painéis aeromarítimos à óptica em 1950, passando a funcionar com a característica de aeromarítimo.

No ano de 1966 a potência da fonte luminosa foi reduzida, sendo instalada uma lâmpada de 1500W.

Foi ligado à rede eléctrica de distribuição pública em 1980, iniciando-se também a automatização. A lâmpada foi substituída e sofreu nova redução de potência (1000 W).

Uma forte trovoada em Outubro de 1983 causou várias avarias na parte técnica do farol.

O Posto Marítimo passou a ser fornecido de energia eléctrica a partir de uma linha retirada do quadro geral das habitações do farol, no ano de 1984.

Foram feitas grandes obras de reconstrução e remodelação, no interior e exterior dos edifícios e nos telhados, entre 1997 e 1998.

Local800m a Norte de São Pedro de Moel
Coordenadas39° 45' 50.6802"N, -9° 1' 52.4208"W
Altura32 m
Altitude55 m
LuzFI (2) W 15 s
Alcance30 M
Optica3ª Ordem 500 mm
Ano1912
Farol do Penedo da Saudade

Farol do Penedo da Saudade

Escadaria do Farol

Escadaria do Farol

Farol virado para o mar

Farol virado para o mar

Placa evocativa do 1º centenário do farol

Placa evocativa do 1º centenário do farol

Comemoração dos 100 anos do farol

Comemoração dos 100 anos do farol

Vista da praia velha do cimo do farol

Vista da praia velha do cimo do farol

Placa na parede do farol

Placa na parede do farol

Entrada do farol

Entrada do farol

Torre do farol

Torre do farol

Livro de registo do farol

Livro de registo do farol

Faroleiros

Faroleiros

Interior da lanterna do farol

Interior da lanterna do farol