Farol de Alfanzina


No Plano Geral de Alumiamento da Costa de Portugal, aprovado em 1883, já estava projectado um farol no Cabo Carvoeiro do Algarve.

No entanto, só em 1913 se iniciam as primeiras considerações técnicas sobre o farol de Alfanzina, assim como a escolha do local para o edificar.

Em 18 de Dezembro de 1915 é adquirido o terreno para a sua construção.

O farol de Alfanzina foi estabelecido em 1 de Dezembro de 1920, conforme atesta o Aviso aos Navegantes:

«Que no dia 1 de Dezembro de 1920, salvo qualquer obstáculo superveniente, começará a funcionar o farol do Cabo Carvoeiro (Algarve), entrando, nessa data, no período preliminar de experiências.

O edifício, erecto na extremidade do referido Cabo (no sitio denominado Alfanzina), consta duma tôrre quadrangular de alvenaria, forrada de azulejo branco, erguendo-se a meio dum edifício dum só pavimento, tambêm forrado do mesmo azulejo, que serve para habitação dos faroleiros.

A tôrre mede 15 metros de altura, desde o terreno até à aresta superior da cornija. Sôbre ele se elevam a murete cilíndrica, metálica, e a lanterna, ambas pintadas de vermelho, ficando o plano focal a 18 metros acima do terreno.

O aparelho iluminante é de 3ª ordem, grande modelo (0,m50 de distância focal), de rotação, dando grupos de dois relâmpagos brancos de 15 em 15 segundos. O sistema lenticular é composto de dum grupo de duas lentes de eixos descentrados, de 130º cada uma, e efectua uma rotação completa em 15 segundos.

O alcance luminoso, em transparência média atmosférica, é de 30 milhas; e o alcance geográfico, para um observador colocado 5 metros acima do nível do mar, é de 20 milhas.

Posição geográfica – latitude 37º 05´ 04´´N , longitude 8º 26´ 25´´ O. GW.

Altitude do plano focal 58 metros.

Estas coordenadas foram deduzidas da respectiva Carta Corográfica do País publicada pela Direcção Geral dos Trabalhos Geo-désicos.

Durante o período de experiências não se deve contar com o regular funcionamento dêste aparelho.»

Aviso aos Navegantes, Nº 12, de 30 de Outubro de 1920.

A fonte luminosa era a incandescência pelo vapor de petróleo, sendo a rotação da óptica produzida através da máquina de relojoaria.

Foram efectuadas obras de restauro em 1936, 1937,1939, 1940, 1941, e 1951.

O farol foi electrificado através de grupos electrogéneos em 1950. A fonte luminosa passou a ser uma lâmpada de incandescência eléctrica, aumentando o alcance luminoso para 42 milhas.

Em 1952, foi construída uma casa de habitação, fazendo-se o aproveitamento da casa do forno já existente, obra que se tornava urgente e indispensável visto estarem as famílias de dois faroleiros a habitarem a mesma residência.

A fonte luminosa passou temporariamente a ser a incandescência pelo vapor de petróleo em 27 de Dezembro de 1952, sendo o alcance luminoso reduzido para 35 milhas.

Em 1961, foi construída uma estrada de acesso ao farol.

Em 1974, no intuito de melhorar a instalação eléctrica, foi efectuada uma grande intervenção nos grupos electrogéneos.

A 14 de Julho de 1980, o farol foi ligado à rede eléctrica de iluminação pública, sendo instalada uma lâmpada de 1000W. Ficou com um alcance de 29 milhas.

Foi automatizado com sistema modelo BBT em 1981.

LocalAlfanzina (Cabo Carvoeiro do Algarve) - Ponta de Alfazima, Lagoa
Coordenadas37° 5' 12.4008"N, -8° 26' 33.9252"W
Altura23 m
Altitude63 m
LuzFl (2) W 15 s
Alcance29 M
Optica3ª Ordem (grande modelo) - 500 mm
Ano1920