Farol da Ponta da Piedade


O Plano Geral de Alumiamento e Balizagem aprovado em 1883, considerava já a instalação de uma luz de porto na Ponta da Piedade. Apesar desta intenção, não foi edificado qualquer farol ou farolim tão prontamente, pelo que, a Comissão nomeada por portaria de Outubro de 1902, do Ministério da Marinha e Ultramar, teve ainda uma palavra a dizer, propondo para a Ponta da Piedade a instalação de um aparelho de 6ª ordem, mostrando dois clarões brancos, seguidos de um vermelho. No entanto, uma vez mais, o projecto ver-se-ia protelado, pelo que a solução final veio a diferir um pouco da perspectivada pela Comissão nomeada em 1902. Um despacho de 30 de Dezembro de 1911, da 1ª Repartição da Direcção Geral dos Eclesiásticos, publicada no Diário do Governo nº 10 de 12 de Janeiro de 1912, referia:

Nos termos do artigo 90 do decreto com força de lei de 20 de Abril último, cedida com as suas dependências, ao Ministério da Marinha, a antiga e arruinada ermida de Nossa Senhora da Piedade, afim de ali ser construído um farol de rotação. O processo acabaria por não ser pacífico, pois a Junta da Paróquia de Santa Maria de Lagos era contra a demolição da ermida.

No dia 15 de Fevereiro de 1912, o Contra-Almirante Schultz Xavier, representante da Direcção-Geral de Marinha, tomava posse da ermida e dependências e, por escritura de 14 de Março do mesmo ano, aquela Direcção, comprou por 250.000$000 reis, um prédio rústico, pertencente a Artur Baptista Galvão e esposa, para construção do farol.

O farol da Ponta da Piedade entrou em funcionamento em 1 de Julho de 1913. Inicialmente foi equipado com um aparelho óptico de 4ª ordem, de rotação, mostrando grupos de cinco clarões brancos de 10 em 10 segundos, tendo como fonte luminosa um candeeiro de petróleo. A rotação da óptica fazia-se através da máquina de relojoaria. A torre tem 5 metros de altura e 51 metros de altitude.

A óptica de 4ª ordem foi substituída, temporariamente, em 2 de Maio de 1923, por uma de 6ª ordem, fixa, de luz branca. Em 15 de Dezembro desse mesmo ano, passou a luz de ocultações de 2 1/2 segundos apagada, intervalados de períodos de luz fixa, branca, de 4 segundos de duração, sendo retirada a óptica de 6º ordem.

O farol foi electrificado com energia da rede pública em Maio de 1952 passando a fonte luminosa a ser a incandescência eléctrica, o que permitia um novo alcance luminoso de 15 milhas, posteriormente aumentado para 18 milhas.

Em 1956 foi adquirido e montado um novo aparelho de incandescência eléctrica com passagem automática a gás acetileno.

Foi automatizado em 1983 com um sistema modelo GISMAN, funcionando, hoje em dia, exclusivamente a electricidade, com uma característica luminosa de relâmpagos simples de cor branca, período de 7 segundos e um alcance de 20 milhas.

LocalPonta da Piedade, Lagos
Coordenadas37° 4' 49.893"N, -8° 40' 10.2792"W
Altura5 m
Altitude51 m
LuzFl W 7 s
Alcance20 M
Optica4ª Ordem
Ano1913