Farol da Gibalta


Em 1 de Agosto de 1878, são criadas duas luzes vermelhas, nos sítios denominados Alto de Caxias e Porto Côvo, que determinam pelo seu enfiamento, o caminho que os navios devem seguir, na entrada e saída da barra grande de Lisboa. Em Dezembro de 1879, achando-se concluída a torre no antigo mirante de Caxias, foi ali colocada a luz fixa vermelha, que provisoriamente tinha sido posta numa barraca de madeira. Era composta por aparelho catóptrico com reflector parabólico e um candeeiro de Argand de duas torcidas.

No Aviso aos Navegantes nº 4 de 7 de Abril de 1913, a Direcção Geral de Marinha comunica o seguinte: «Que as luzes de direcção do canal de entrada da Barra Grande do pôrto de Lisboa, actualmente instaladas no mirante de Caxias e em Pôrto Covo, vão ser transferidas respectivamente para os locais, em que se acham as marcas do Esteiro e da Gibalta, marcas que, conjuntamente com a marca da Mama, assinalam o eixo daquele canal (...)».

O Farol da Gibalta entrou em funcionamento em Maio de 1914, tendo uma torre com 13 metros de altura e 36 metros de altitude. O aparelho óptico era de 5ª ordem, a luz vermelha, fixa, iluminando um sector de 15º.

A luz que até então era fixa, passou a luz ritmada em Fevereiro de 1951.

Em 31 de Março de 1952, houve um desabamento de terras da encosta, que originou a derrocada de uma parte do farol sobre a linha-férrea a 3 de Abril, foi demolido o que restava do farol e montada uma luz provisória que passou para a base da torre do farol em construção, entrando em funcionamento em 10 Fevereiro de 1954.

O novo farol foi construído a 30 metros do farol demolido, entrando em funcionamento em Maio de 1954. A torre tem 21 metros de altura e 31 metros de altitude. O aparelho óptico é de 5ª ordem, tipo olho-de-boi, sendo a fonte luminosa a incandescência eléctrica com reserva a gás. A luz provisória foi retirada.

Em 1960 foi instalado um rádio farol direccional em regime experimental. Para atenuar o efeito da luz de iluminação da estrada marginal, foram montadas exteriormente 4 lâmpadas fluorescentes de cor vermelha. De Novembro a Fevereiro o farol passa a estar aceso até às 0900 horas. Nos restantes meses até 1 hora após o nascer do sol.

Foi cancelado o funcionamento experimental do rádio farol em 1972.

O farol da Gibalta foi automatizado em 1981 ficando a ser monitorizado a partir da Central de Paço de Arcos e deixou de estar guarnecido de faroleiros.

Em 1987 o farol do Esteiro e da Gibalta, passam a estar acesos em regime permanente de 1 de Outubro a 15 de Março.

A partir de 1997 passaram a estar acesos em permanência durante todo o ano.

No ano 2000 foi montado novo sistema de telecontrolo (“OMRON”).

LocalNa encosta da Gibalta, em Caxias
Coordenadas38° 41' 56.7888"N, -9° 15' 58.5678"W
Altura21 m
Altitude31 m
LuzOc R 3 s
Alcance21 M (39 km)
Optica5ª Ordem
Ano1914